quarta-feira, 17 de abril de 2013

Stress: Sintomas, Causas e Tratamentos





O que é Stress?

A palavra stress é um termo retirado da Física. Significa qualquer força que, aplicada sobre um sistema, leva à sua deformação ou destruição de algo. Quando se aplica o termo ao homem, tem-se que é qualquer estímulo que afeta negativamente a integridade humana.

De acordo com especialistas, a chamada "dose baixa" de stress é normal, fisiológica e desejável para um bom funcionamento do organismo. O termo se refere a uma ocorrência indispensável para a saúde e sua capacidade produtiva. Pode-se apontar como características para o stress positivo fatores como aumento da vitalidade, a manutenção do entusiasmo, do otimismo, da disposição física, interesse, etc. Por outro lado, um tipo de stress patológico e exagerado pode ter consequências  mais danosas, que podem ir, por exemplo, do cansaço à irritabilidade fácil, à falta de concentração. E chegar a quadros graves de depressão, pessimismo, queda da resistência imunológica, mau humor, etc.

Origens do Stress

Nem sempre o stress se percebe. É comum que pessoas mais próximas chamem a atenção ou dêem o alarme. Admitir isso também não costuma ser simples. 
A ansiedade é considerada a mola propulsora do stress. Funciona como um sinal de alerta que adverte sobre a necessidade de mudança e/ou adaptação, ou sobre eventual perigo iminente. O indivíduo ansioso age, coloca-se em posição de alerta, física e psiquicamente; dilata as pupilas, acelera o coração, diverge o sangue para musculatura voluntária, aumenta a glicose circulante, dilata os brônquios.
Estudos apontam que nos conturbados tempos de hoje, os diversos mecanismos de ameaças estabelecidos por fatores econômicos, sociais e culturais não tem sido favoráveis ao equilíbrio pleno e sadio do corpo humano. Acontece dessa forma, apesar de todo o progresso da medicina, das conquistas científicas, técnicas e sociais que sempre tem objetivado isso. É preciso destacar nesse aspecto os hábitos alimentares inadequados, a poluição do ar e da água, a agressão sonora e visual do ambiente, a insegurança social e no trabalho, a violência urbana, as crises econômicas e muitas outras fontes do stress importantes acabam esgotando a capacidade adaptativa da pessoa.

Efeitos do stress no organismo

Os fatores estressantes variam bastante quanto à sua natureza. Podem abranger desde componentes emocionais, como a frustração, a ansiedade ou perda, até componentes de origem ambiental, biológica e física.
É um erro imaginar que o stress ocorre somente nos momentos de eventos que causam sofrimento. É capaz de surgir também diante de condições e situações que podem ser definidas como boas, nas quais existe a imediata necessidade de uma adaptação pelo organismo. Há vários momentos que podem levar a pessoa ao  stress. Um exemplo muito frequente é o casamento. Sim, casar é estressante sob vários aspectos: organizar cerimonial e recepção, fazer os procedimentos legais no cartório, comprar aliança, providenciar convites, fazer a lista de convidados, definir local da lua-de-mel, etc.O mesmo se dá em situações de promoção, viagens, etc. Enfim, caso o evento seja algo bom, logicamente o stress terá um fim mais rápido. Principalmente depois que ocorre o período de adaptação, quando o organismo tende a voltar a se estabilizar tanto a nível físico, como emocional.
O oposto disso acontece quando o evento é interpretado como algo realmente ruim. Nesse caso a ação do stress será mantida pela tensão e pressão internas provavelmente por um período maior. Desse modo, a reação acontece graças a cognições e fontes de stress que ocasionaram o processo.
Eliminar completamente todos os tipos de stress certamente seria uma tarefa impossível. O que se deve fazer é tentar reduzir nas pessoas os efeitos danosos do stress que a sociedade proporciona e sensibilizá-las para os meios capazes de ajudar a administrar melhor os estressores do cotidiano.
Recomenda-se buscar, nesse sentido, a adoção de uma postura na qual o stress seja um acontecimento positivo e não um empecilho ao desempenho pessoa, à saúde e à felicidade. 

Causas

Entre as principais causas do stress, deve-se citar, em primeiro lugar, as mudanças que ocorrem na vida de uma pessoa. Sabe-se que uma certa dose de mudança em determinados momentos da existência é algo extremamente necessário e saudável. Entretanto, se as mesmas foram num grau a ponto de serem consideradas violentas, essas podem ultrapassar nossa capacidade de adaptação.
Não é diferente quando se fala em sobrecarga de tarefas, funções ou obrigações. É preciso lembrar sempre que a falta de tempo, o excesso de responsabilidade, a falta de apoio e expectativas exageradas são causas importantes e frequentes de stress.
Vale o mesmo para as pessoas que tem alimentação incorreta. Pela expressão entende-se comer mal, com pressa, de modo a dificultar a digestão. A soma disso no dia-a-dia tende a acumular problemas e até doenças. Não é apenas importante o que comemos, mas também como comemos.


Sintomas Gerais

Fisicamente o stress pode ocasionar: 

- Dores de cabeça;
- Indigestão;
- Dores musculares;
- Insônia;
- Taquicardia;
- Alergias;
- Queda de cabelo;
- Perda ou aumento do apetite;
- Gastrite;
- Dermatoses;
- Esgotamento Físico.

Sintomas Psicológicos:

- Apatia;
- Memória fraca;
- Tiques nervosos;
- Isolamento e introspecção;
- Sentimentos de perseguição;
- Desmotivação;
- Autoritarismo;
- Irritabilidade;
- Emotividade acentuada;
- Ansiedade.

Se você possui alguns desses sintomas o interessante é procurar auxílio médico para esclarecimento do diagnóstico, já que alguns dos sintomas do stress podem ser causados por algumas doenças orgânicas, e um diagnóstico preciso é importante.
A partir disso, torna-se necessário que se faça um tratamento especializado o mais rápido possível, tendo por objetivo reduzir os sintomas no menor prazo possível, a fim de evitar recaídas.

Formas de Tratamento

Existem diversos tipos de tratamentos convencionais. Dentre eles, os mais importantes e populares estão relacionados a seguir:

1. Remédios: por meio da consulta a um profissional capacitado, uma vez que apenas alguém com formação médica especializada poderá indicar o melhor remédio para cada caso.

2. Alimentação: No decorrer do processo orgânico pelo qual acontece o stress, o organismo perde muitas vitaminas e nutrientes. Por isso, os médicos recomendam a imediata reposição dessa perda por meio da ingestão de muitas verduras e frutas - consideradas ricas em vitaminas do complexo B, vitamina C, magnésio e manganês. Entre as folhas mais facilmente encontráveis destacam-se brócolis, chicória, acelga e alface, que são ricos nesses nutrientes. O cálcio pode ser reposto com o consumo de leite e de seus derivados.

3. Atividade física: Não é novidade que qualquer atividade física proporciona benefícios ao organismo. Ao se exercitar, o indivíduo melhora as funções cardiovasculares e respiratórias, queima calorias e ajuda no condicionamento físico porque induz a produção de substâncias com caráter relaxante e analgésico como a endorfina.

3. Medicina alternativa: tratamentos alternativos como a fitoterapia, acupuntura, cromoterapia, reiki, massagem, entre outros. Nesses tratamentos alternativos, o profissional auxilia o paciente a identificar as fontes de stress existentes, atuando diretamente na causa do problema e não apenas nos sintomas. Trata o ser como um todo, sem qualquer medicação.


* O mais importante é estar atento aos sintomas e se necessário procurar a ajuda de um profissional capacitado para diagnóstico e tratamento adequado, seja ele por meio de medicamentos, ou pelas práticas naturais. Tudo vai depender do perfil do paciente, do que ele busca, e suas necessidades particulares.


FONTE: Cura Natural e Saúde. STRESS. Joel Cardoso e Sophia Ricci. 

Visite nosso site!

http://www.reikiecoracao.com.br/







Nenhum comentário:

Postar um comentário